Cristianismo Wiki
Advertisement
Calvinismo
John Calvin.jpg
João Calvino
Bases históricas:

Cristianismo
Agostinho de Hipona
Reforma

Marcos:

A Institutio Christianæ Religionis de Calvino
Os Cinco Solas
Cinco Pontos (TULIP)
Princípio regulador
Confissões de fé

Influências:

Theodore Beza
Sínodo de Dort
Teologia puritana
Karl Barth

Igrejas:

Reformadas
Presbiterianas
Congregacionais


O regime de administração eclesiástica Congregacionalista é um sistema onde cada congregação local é independente. A igreja local possui autonomia para sua própria reflexão teológica, expansão missionária, relação com outras congregações e seleção de seu ministério. É a forma de governo mais comum em denominações como Anabaptistas, Igreja Batista, Igreja de Cristo no Brasil e obviamente a própria denominação que deu nome ao termo: a Igreja Congregacional

Congregacionalismo na Inglaterra[]

As primeiras manifestações históricas de comunidades congregacionais,se verificaram em Londres,em 1567 e 1568, com Richard Fytz. Em 1580 Robert Browne, um clérigo anglicano, junto com o leigo Robert Harrison organizaram em Norwich uma congregação cujo sistema era congregacionalista.

Isso acontecia pela insatisfação com a Reforma da Igreja Anglicana que gerou um grande número de dissidentes, esses dissidentes com o tempo foram agrupados em congregações autônomas e mais tarde em Convenções. Hoje fazem parte da Igreja Reformada Unida da Inglaterra.

Congregacionalismo nos Estados Unidos[]

Os Congregacionalistas foram os pioneiros da colonização inglesa na América do Norte, onde fundaram as colônias Plymouth, Massachusetts e Connecticut, onde a estrutura da igreja congregacional era intimamente interligada com o governo civil colonial.

As primeiras universidades dos Estados Unidos, como Harvard, Yale, e Dartmouth foram fundadas pelos congregacionais.

Devido ao próprio regime congregacionalista permitir a diversidade, a Igreja Congregacional Americana ficou sob influência de pensamentos humanistas, que gerou cismas como aquele que fez nascer a Igreja Unitária.

No século XX as igrejas congregacionais passaram por várias fusões e hoje a maioria são constituíntes da Igreja Unida de Cristo.


Congregacionalismo no Brasil[]

O Congregacionalismo chegou ao Brasil em 1855,com a vinda do médico escocês Robert Reid Kalley e sua esposa Sarah P.Kalley. Eles começaram um trabalho de evangelização e mais tarde fundaram, no Rio de Janeiro, a Igreja Evangélica Fluminense (11/07/1858), que mais tarde seria agrupada na União das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil, que junto com a Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil, constituem as duas principais e maiores fraternidades do congregacionalismo brasileiro, Possui doutrina calvinista e liturgia Reformada conservadora. Batizam adultos por aspersão.

Outros grupos congregacionalista brasileiros são:

  • Igreja Cristã Evangélica do Brasil, que por algum tempo esteve associada com a UIECB.
  • Igreja Evangélica Congregacional do Brasil, de origem alemã pietista, sua presença está concentrada em sua maior parte na Região Sul do Brasil.
  • Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil
  • Igreja Congregacional Bíblica
  • Associação das Igrejas Evangélicas Congregacionais Conservadoras do Brasil
  • Igreja Congregacional Reformada do Brasil
  • Igreja Evangélica Congregacional de Volta Redonda

Relações com outras denominações[]

Histórica e teologicamente as Igrejas Congregacionais fazem parte da família Calvinista e muitas das denominações são afiliadas com a Aliança Reformada Mundial, entidade que mantém a comunhão das denominações Reformadas, Congregacionais e Presbiterianas.

A diferença entre o Congregacionalismo e o Presbiterianismo está que o primeiro adota a crença da autonomia total das igrejas locais; não aceitam credos e confissões como regras de fé, mas como sínteses do pensamento comum de uma igreja; celebram o culto com espontaneidade em uma ordem estabelecida, mas sem fixar liturgias.


Igreja Evangélica Congregacional de Volta Redonda

Para conhecer o Início da Igreja Congregacional de VR, é importante conhecer um pouco da história desta cidade e o que acontecia na época em que se iniciou a Igreja.

No início do Século XX, Volta Redonda era parte da cidade de Barra Mansa, com algumas fazendas de Café, que mudavam para a criação de gados, e um pequeno núcleo urbano conhecido como Arraial de Santo Antônio da Volta Redonda. O nome da cidade vem da curva do Rio Paraíba do Sul, próximo ao bairro Barreia Cravo. Em 1926, Santo Antonio da Volta Redonda foi reconhecida como oitavo distrito de Barra Mansa.

Desta época até a construção da Companhia Siderúrgica iniciada em 1941, o distrito não teve muitos avanços. Mas na década de quarenta, em plena segunda guerra mundial, os criadores de gados e trabalhadores rurais deram lugar a milhares de operários que se deslocavam de vários lugares do Brasil para trabalhar em Volta Redonda, conhecida na época como o “Eldorado” brasileiro. Na década seguinte (1950), o número de habitantes já havia crescido consideravelmente. Quando a CSN estava completando oito anos de operação, Volta Redonda foi emancipada de Barra Mansa no dia 17 de julho de 1954. A cidade se desenvolveu ao entorno da Usina. Entre 1973 e 1985, a cidade foi considerada Área de Segurança Nacional, onde o prefeito era escolhido pelo presidente da República.

Entre os trabalhadores que chegaram a Volta Redonda, estavam famílias da Igreja Congregacional de Paracambí e Passa Três. Um deles era o presbítero Moisés Leite, que estava congregando na Igreja Metodista em Volta Redonda já que nesta cidade não havia congregações da Igreja Congregacional. Nesta mesma Igreja estava congregando o irmão Eloé de Souza Cruz, este sugeriu ao presbítero Moisés Leite a implantação de uma Congregação Congregacional em Volta Redonda. Foi realizada uma reunião entre estes irmãos e José César de Medeiros para desenvolver a idéia. O primeiro culto dos Congregacionais em Volta Redonda aconteceu no dia 29 de março de 1956, com a presença do Pastor Elmir de Oliveira Lemos de Paracambí, na casa do Irmão José Cesar de Medeiros no Acampamento Central (bairro Vila Stª Cecília). As primeiras decisões foram tomadas, os cultos continuaram acontecendo na casa do Irmão José Cesar de Medeiros, houve um crescimento considerável, um pequeno salão foi construído nos fundos da casa deste irmão onde continuaram os cultos.

Neste mesmo ano, foi marcado no dia 15 de julho, às 15 horas, uma cerimônia de inauguração da Congregação Congregacional em Volta Redonda. Uma caravana com irmãos de Paracambí se organizou para participar da Inauguração, que fora celebrada pelo Pastor Elmir de Oliveira Lemos. A congregação se iniciou com dezessete membros: Eloé de Souza Cruz, Maria das Dores Silveira Cruz, Moisés Leite, Josefina Pereira Leite, Maria de Lurdes Pereira, Isaura César Medeiros, José César Medeiros, João Belizário, Ione César Medeiros, Joel Neponoceno, Josefa P. Neponoceno, Célio Alves Macedo, Nivalda Brum Mecedo, Jonatas Figueira Talles, Dulce Talles, José Antonio de Paiva e Elizio Venâncio da Silva que foi o primeiro fruto deste trabalho. Os primeiros membros vieram da Igreja Congregacional de Paracambí e Passa Três, e alguns da Igreja Metodista do Brasil.

Note que a Igreja Congregacional de Volta Redonda iniciou suas atividades (1956) apenas dois anos depois da emancipação de Volta Redonda (1954), ou seja, um município em construção. A Igreja foi se desenvolvendo paralelamente ao Município. Até então, a Congregacional de Volta Redonda era uma Igreja tradicional nos cultos, na forma de batismo e outras doutrinas eram diferentes das seguidas hoje pela Igreja E. Congregacional de VR, nesta época, ainda não havia laços com o movimento pentecostal que se espalhava por todo Brasil.

Mas algo diferente estava acontecendo na congregação de Volta Redonda, os cultos estavam cada vez mais fervorosos, sendo celebrados com vivacidade e logo começaram a ocorrer nos cultos, o batismos com Espírito Santo e manifestações de dons espirituais, naturalmente e sem intenções pré-concebidas. A igreja ganhou autonomia após estes ocorridos e foi registrada no cartório do 1º ofício em 10 de outubro de 1958. Um das primeiras denominações a aderir o movimento pentecostal no Brasil. Até então, as Assembléias de Deus e a Congregação Cristã do Brasil, eram as denominações predominantes no que diz respeito ao pentecostalismo brasileiro. Somente nas décadas de 1950 e 1960 que outras denominações começaram a surgir com as grandes ocorrências de manifestação do Espírito Santo nos cultos tradicionais. E A Igreja Evangélica Congregacional de Volta Redonda é uma delas.

Nascido em 20 de novembro de 1934, José Flávio de Moura teve seu encontro com Jesus no dia 13 de junho de 1962 na Congregacional de Volta Redonda, sendo batizado em setembro do mesmo ano.

Entre os anos de 1967 e 1973, participou da organização dos primeiros Encontros de Renovação no Brasil, realizados em Vitória-ES, Recife-PE e Niterói-RJ. Participou e colaborou com a oitava conferência Mundial Pentecostal ocorrida no estádio do Maracanã em 1967. O Pastor Moura, também participou do Encontro de Renovação Espiritual em Córdoba na Argentina em maio de 1975, mesmo ano em que iniciou os Encontros de Mocidades em Volta Redonda que acontecem até os dias atuais com o nome de EMAC e agora CMAC com forte característica musical em Coral e Ministério de Louvor e destaque para as pregações. O Mesmo modelo de evento foi utilizado para organizar o Encontro de Adultos Congregacionais. Ambos os trabalhos tem grande participação das Igrejas e congregações, com membros de toda região sudeste se dirigindo a Volta Redonda.

O pastor José Flávio de Moura colaborou com a implantação da Igreja O Brasil Para Cristo, Metodista Wesleyana e Maranata em Volta Redonda. Onde até mesmo o templo Congregacional foi emprestado para a realização de cultos em dias alternativos. O Pastor Flávio de Moura tinha grande amizade pelo missionário Manoel de Mello da Igreja O Brasil para Cristo. Em dias que não havia culto Congregacional, os irmãos da Brasil Para Cristo usavam o templo, assim também os irmãos wesleyanos, alguns anos depois.

A Igreja Congregacional se expandiu, não só pelos bairros da Cidade mas por várias cidades de Minas Gerias, em Campos dos Goytacases, Espírito Santo e em São Paulo. Em Volta Redonda a primeira congregação fial a IEC do Aterrado (Igreja Central) foi no bairro Santo Agostinho, e a segunda foi no Retiro. Destas Igrejas e da Igreja Central, outras congregações e Igrejas locais foram estabelecidas.

No dia 25 de dezembro de 1964, foram batizados os futuros pastores José Luiz de Souza e o saudoso pastor Benedito José de Souza (1944-2017), ambos pastorearam várias igrejas da IEC e contribuíram durante toda a vida para o crescimento da denominação. Em Barra do Piraí a IEC se desenvolveu com grande alcance na cidade, principalemnte a partir da década de noventa com a Liderança do Rev. Dr. Luciano de Souza, período onde a Igreja com aproximadamente 60 membros avançou nos anos seguintes chegando a mais de mil membros com mais de 14 congregações. Muitos outros nomes importantes poderiam ser citados mais o espaço não nos permite, porém a importância destes é igualmente relevante.


Congregacionalistas Famosos[]

  • Thomas Goodwin
  • Isaac Watts
  • William Perkins
  • Jonathan Edwards
  • John Owen
  • Martyn Lloyd-Jones
  • C.H. Dood
  • Dwight L. Moody
  • John Cotton
  • Cotton Mather
  • Bill Gates
  • H. Richard Niebuhr
  • Reinhold Niebuhr
  • Walt Disney
  • John Milton
  • Thomas Edison
  • Robert Reid Kalley
  • Oliver Cromwell
  • Frank Land
  • Washington Luiz

Ver também[]

Ligações Externas[]


45px-Smallwikipedialogo.png Este artigo utiliza material oriundo da Wikipédia. O artigo original está em Congregacionalismo. A relação dos autores originais pode ser vista no histórico do artigo. Assim como acontece com a Cristianismo Wiki, o texto da Wikipédia encontra-se debaixo da Licença de Documentação Livre GNU.
Advertisement