Nota: Esta página contém alguns caracteres especiais que podem não ser exibidos por alguns navegadores.
Série

Islã
Mosque02 svg.png
História do Islão

Cinco pilares

Profissão de fé
Oração · Tributo · Jejum
Peregrinação

Figuras centrais

Muhammad
Companheiros de Muhammad
Casa de Muhammad
Profetas do Islã

Textos e lei

Alcorão · Suna · Hadith
Biografias de Muhammad
Charia · Fatwa Jurisprudência

Ramos do Islão

Islão Sunita · Islão Xiita
Kharijitas

Cidades sagradas
Meca · Medina · Jerusalém

Najaf · Karbala · Qom Mashhad

Aspectos sócio-culturais

Arte · Arquitectura
Calendário · Ciência · Filosofia
Fundamentalismo Islâmico Jihad ·Sufismo

Ver também

Vocabulário do Islão
Cronologia do Islão
Índice de artigos sobre Islã


Zakat ou Zakah (árabe: زَكَاة ) é um tributo religioso, impropriamente traduzido como esmola. É o terceiro dos cinco pilares do Islão. Significa, literalmente, "crescer" ou "aumentar".

O seu pagamento é anual e obrigatório para todos os muçulmanos. De uma maneira geral incide sobre 2,5% da riqueza de cada pessoa. Cada muçulmano pode escolher a altura mais adequada do ano para pagar o zakat, mas muitos optam por fazê-lo no mês sagrado do Ramadã.

Segundo o islão, toda a riqueza é oriunda de Allah. Aqueles que tiveram a sorte de beneficiar da sua riqueza devem por sua vez apoiar os membros mais desfavorecidos da comunidade muçulmana (a umma). O não pagamento do zakat é entendido como um pecado que será julgado no Dia do Juízo Final (Yaum al-Qiyamah). Este tributo é também visto como uma forma de purificação do crente.

O dinheiro obtido a partir do zakat deve ser gasto de preferência na comunidade local.

Beneficiários do Zakat[editar | editar código-fonte]

O Alcorão estabelece oito categorias de beneficiários do zakat:

  • Fakir - os muçulmanos pobres e os que não conseguem arranjar trabalho;
  • Miskin - os muçulmanos que não conseguem alcançar com o seu trabalho o mínimo para satisfazer as suas necessidades e as da sua família;
  • Amil - os colectores do zakat;
  • Muallaf - os convertidos ao islão e que em função da sua conversão possam ter perdido bens e sofrido dificuldades económicas;
  • Riqab - os muçulmanos que se queiram libertar do estatuto de cativo de guerra ou de escravo;
  • Gharmin - os muçulmanos endividados, desde que estas dívidas tenham sido contraídas para satisfazer as necessidades básicas;
  • Fisabillillah - os muçulmanos que lutam pela causa de Allah, o que pode incluir a construção de mesquitas, hospitais, escolas, o investimento em obras de divulgação do islão ou a defesa da comunidade muçulmana de agressões externas;
  • Ibnus Sabil - os muçulmanos que se encontram longe do seu lar, necessitando para a eles regressar de uma quantia em dinheiro de modo a cobrir o custo da viagem.

Estas pessoas devem ser tratadas com respeito e o acto de recepção do zakat não deve ser alvo de humilhação.

Sadaqa[editar | editar código-fonte]

Os muçulmanos que desejem podem fazer outras contribuições para além do obrigatório zakat. Essas contribuições são chamadas de sadaqa; podem ser em dinheiro ou assumir outras formas, como um gesto amigável ou uma palavra de conforto a uma pessoa em crise. É importante que sejam feitas discretamente e sem que a pessoa seja movida pela vaidade.

Ver também[editar | editar código-fonte]


45px-Smallwikipedialogo.png Este artigo utiliza material oriundo da Wikipédia. O artigo original está em Zakat. A relação dos autores originais pode ser vista no histórico do artigo. Assim como acontece com a Cristianismo Wiki, o texto da Wikipédia encontra-se debaixo da Licença de Documentação Livre GNU.
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.